48 3207 5001
contato@goldenergy.com.br

Sistema Solar On-Grid: Entenda como funciona a geração de energia ligada a rede elétrica!

O Sistema Solar On-Grid é um modelo muito utilizado por quem visa reduzir o valor da conta de luz no fim do mês e conseguir planejar os gastos futuros com energia elétrica. 

Este sistema converte a energia solar captada em energia elétrica e transfere direto para a rede elétrica, mesclando com a energia convencional. Neste conteúdo você entenderá melhor como este modelo funciona, seus benefícios, vantagens e desvantagens. 

Como funciona o Sistema Solar On-Grid 

Começando do começo: o sistema On-Grid é composto por: 

  • Painéis solares, cuja quantidade depende do tamanho do sistema; 
  • Inversores interativos, que transformam energia solar em energia elétrica; 
  • Estrutura de fixação, equipamentos para a sustentação e fixação da instalação dos demais componentes; 

Desta maneira, os painéis solares captam a energia através de um processo de movimentação de elétrons e, logo depois, os inversores transformam a energia fotovoltaica produzida em energia elétrica. 

No caso dos inversores interativos (também conhecidos como grid-tied), o que se torna característica do sistema solar On-Grid, a energia gerada (corrente alternada CA) é enviada para a rede de distribuição energética em um modelo misto, misturando a energia solar gerada com a energia elétrica convencional. 

Desta maneira, o sistema atende também a rede pública de geração de energia, permitindo o uso dos itens e aparelhos residenciais como computadores, eletrodomésticos, etc. normalmente. 

Esta alimentação da rede distribuidora acontece automaticamente pós-transformação energética, injetando depois essa energia gerada na sua unidade consumidora ((por exemplo, sua casa ou empresa). 

Entenda a diferença da injeção energética On-Grid e sua rede distribuidora 

A principal questão para compreender como o modelo On-Grid funciona é que, após a geração, mesmo que seu consumo energético seja maior que a energia gerada por seu sistema fotovoltaico, você não ficará sem luz! 

Isso acontece porque, já que seu sistema é vinculado ao sistema de distribuição elétrica convencional, no caso de consumo superior, sua unidade consumidora será abastecida com energia elétrica convencional, e não injetada com a solar produzida. 

Portanto, o sistema solar On-Grid conta com a segurança de, mesmo gerando pouca energia fotovoltaica, você ainda terá acesso à energia elétrica. 

E como diferenciar, na conta, os dois modelos de geração de energia? 

Neste caso, será necessário um medidor bidirecional, que poderá entender o que é energia convencional da rede distribuidora local e o que é energia solar fotovoltaica produzida no seu sistema. 

Este medidor é gratuito assim como a vistoria do sistema solar, sendo instalado após a inspeção do órgão regulamentador, Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). 

E como reduzir o valor da minha conta de luz? 

Gerando mais energia do que seu próprio consumo! A grande promessa da energia solar, além de ser sustentável, renovável e não-poluente, é conseguir reduzir o valor da conta. 

Isso acontecerá quando a geração de energia fotovoltaica injetada na rede distribuidora (analisando o modelo On-Grid) é maior que o consumo mensal, acumulando assim créditos energéticos. 

Assim, suas contas de luz começam a vir separadas de duas maneiras: 

  • Energia consumida: aquela consumida do modelo convencional provindos da rede distribuidora (outros modelos de geração); 
  • Energia injetada: aquela produzida pelo sistema solar fotovoltaico injetada na unidade consumidora (casa e empresa, por exemplo). 

Com o consumo sendo maior, você poderá acumular créditos energéticos suficientes para reduzir o valor da conta, inclusive de meses futuros, abatendo o consumo com a energia previamente gerada. 

Vale ressaltar que existe uma taxa mínima mensal chamada “Custo de Disponibilidade” cobrada pela distribuidora, então o valor da conta nunca será zerado. Mesmo assim, os créditos servem para abater valores de meses onde a geração de energia fotovoltaica for menor, por exemplo, dias chuvosos, nublados e com pouca irradiação solar nos painéis. 

O problema do sistema solar On-Grid: a falta de energia local 

Como nem tudo são rosas, existem algumas desvantagens deste modelo que precisam ser levados em consideração na hora da sua escolha. 

A principal é: já que o sistema é mesclado e ligado a rede distribuidora tradicional e depois injetado na sua unidade consumidora, se houver queda de luz na rede local, você também ficará sem luz. 

Isso acontecerá porque, no modelo conectado a rede elétrica, não existe a instalação de baterias solares como no sistema Off-Grid (que você poderá entender melhor em nosso material didático gratuito, clique aqui para baixar). 

Portanto, sem o sistema autônomo de baterias, em caso de queda de energia, você também ficará no escuro até a regularização da rede distribuidora. 

Principais vantagens 

Já mencionamos o valor, talvez principal vantagem do sistema On-Grid. Mas existe mais: 

  • Possibilidade de se precaver em meses com baixa irradiação solar e menor geração de energia, mantendo a conta de luz sempre barata; 
  • Possibilidade de usar os créditos energéticos em conta para outras unidades consumidoras, uma vez que ambas estejam no nome do mesmo proprietário (seja pessoa jurídica ou não); 
  • Durabilidade do sistema e maior segurança em meses de baixa geração fotovoltaica, evitando ficar sem energia; 
  • Permite que você tenha um sistema menor idealizado apenas para sua unidade consumidora, reduzindo assim o valor do investimento. 

Gostou de entender melhor sobre o sistema solar On-Grid e como ele atua na rede distribuidora local para melhorar sua economia e segurança? Ficou alguma dúvida? Entre em contato com nossa equipe de especialistas, iremos te ajudar!